Acadêmicos da Unir são assaltados e torturados dentro de ônibus

0
53

Durante a noite de terça-feira, 29, bandidos armados rendeu vários acadêmicos da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), dentro do ônibus do Consórcio SIM, que faz a linha Campus Unir, na BR-364, em Porto Velho.

De acordo com informações colhidas com acadêmicos de diversas áreas que preferiram não se identificar por temer represália, os bandidos de arma em punho rendeu as vítimas e saíram fazendo arrastão dentro do coletivo. Celulares e notebooks foram subtraídos. Covardemente, os marginais agrediram alguns acadêmicos com chutes, socos e coronhadas. Há informes que um dos vagabundos chegou a realizar um disparo, porém ninguém foi atingido.

No áudio-vídeo enviado por uma acadêmica, o desespero. “Gente, estamos sendo assaltada dentro do ônibus da Unir, pelo amor de Deus, chama a polícia, polícia, polícia, pelo amor de Deus”. Em outro áudio, a acadêmica desabafa. “É uma sensação horrível isso. Sabia? É muito humilhante, pra gente que é estudante, que trabalha, que rala pra caramba ver o seu objeto, o seu pertence roubado. Levaram mochila, notebook e a dignidade da gente fica um lixo com essas coisas”.

Os acadêmicos questionam sobre os casos que de assaltos e roubos que vem ocorrendo sempre no trajeto e cobram também do Consórcio SIM, que ao menos instale uma câmera de segurança nos ônibus que realizam o trajeto do Campus. “Se eles do consórcio fizerem a instalação das câmeras de segurança, ao menos ajuda a polícia a identificar esses vagabundos, disse um acadêmico.

A equipe de reportagem também recebeu a informação que outro roubo ocorreu na mesma noite, mas desta vez em um dos ônibus da linha, Cidade Nova A. Segundo o relato de uma das vítimas, três marginais armados de pistola e faca subiram no coletivo, na última parada localizada na Avenida Nações Unidas. Um deles rendeu o motorista, ordenando que o mesmo continuasse o trajeto, enquanto os outros a dupla subtraía celulares, bolsas, carteiras e dinheiro do caixa do cobrador.

A jovem que também utilizou as redes sociais para fazer a denúncia e agradecer à Deus pelo livramento, relatou que após os marginais desceram na BR-364, nas proximidades de uma funerária. “Sensação desesperadora, horrível! Um medo, nervosismo. Não levaram nada meu, para minha sorte. Eles (bandidos) estavam tão nervosos e rindo ao mesmo tempo”, conclui.

Os acadêmicos foram até a Unisp Centro e confeccionaram boletim de ocorrência. Uma manifestação pacífica deve ser realizada pelos acadêmicos.

Anderson Nascimento/Rondonianews

Fotos: Via Whatsapp