Convênio vai permitir que taxas do Detran sejam pagas em casas lotéricas de todo o Estado

0
161

Um convênio firmado entre Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (Detran-RO) e Caixa Econômica Federal vai permitir que todas as casas lotéricas do estado recebam, a partir da próxima semana, todas as taxas e IPVA da autarquia.

A compensação do valor pago pelo usuário, conforme o contrato, será feita em 15 minutos. Ao final deste tempo, o pagamento estará lançado on line no sistema do Detran. “É benefício para o usuário e avanço nos nossos serviços”, avalia o diretor geral do Detran, José Albuquerque.

Na prática, já é possível fazer na Caixa Econômica o pagamento do IPVA, DPVAT, taxa de expedição e multas vencidas, entre outras taxas. O contrato estabelece que as lotéricas, que estão presentes em todo o estado, também prestarão o serviço.

Segundo o diretor geral do Detran, é mais uma facilidade oferecida ao usuário, pois em algumas localidades não há agência bancária, mas em quase todas há lojas lotéricas. A escolha, conforme Albuquerque, foi feita através de chamada pública e a Caixa Econômica ofereceu a melhor proposta.

Estão em fase de ajustes os sistemas de Detran e da Caixa Econômica para que a compensação seja agilizada. A previsão é de que até o final da próxima semana o processo esteja funcionando plenamente.

A frota de Rondônia é de cerca de 870 mil veículos, dos quais 240 mil estão em Porto Velho. A inadimplência é maior na capital e Guajará-Mirim e um dos fatores pode ser a falta de opção fácil para o pagamento das taxas. Há usuários que reclamam da demora nas filas das agências bancárias. As lojas lotéricas passam a ser alternativa a esta sobrecarga.

A frota cresceu com a extensão dos financiamentos ocorrida nos últimos anos, o que fez com que a idade média fosse reduzida. “Mas ainda há muito carro circulando”, explica Albuquerque.

Tecnologia – O investimento em tecnologia promovido pelo governador Confúcio Moura é o caminho para melhorar o trânsito, na avaliação do diretor da autarquia. Ele diz que um dos avanços é o estabelecimento do registro biométrico nos centros de formação de motoristas, que passaram a ser uma extensão do Detran.

Com o sistema biométrico, as fraudes foram reduzidas. “Antes, o controle era menor e o aluno podia assinar a lista de presença e mandar outra pessoa fazer os testes”, diz Acássio Figueira, diretor técnico de Habilitação e Medicina do Trânsito.

Como as presenças são registradas digitalmente, o aluno tem que estar presente. O mecanismo obrigou os centros de formação a passarem por um processo de modernização para acompanhar as inovações.

Figueira destaca que, em um ano, 15 autoescolas fecharam ou foram descredenciadas porque não conseguiram se adaptar ao sistema que oferece mais segurança à concessão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O reflexo imediato é a qualificação dos motoristas que vão às ruas com habilitação emitida pelo Detran. O processo inclui a reciclagem dos formadores e renovação do banco de provas. “Em algumas autoescolas, bastava o aluno decorar três exames apresentados pelos professores e acabava aprovado”, explica Figueira.

Medicina – Até os médicos credenciados para os exames obrigatórios dos candidatos a obterá CNH têm que se qualificar. A Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) trouxe para Porto Velho um curso de pós-graduação, que está aberto aos profissionais do setor.

Inicialmente, o curso, que passará a ser obrigatório por determinação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), seria ministrado em Cuiabá/MT, mas veio para Rondônia por intervenção direta de José Albuquerque. “Trabalhamos para melhorar o trânsito e tudo isto faz parte do processo”, conclui Acácio Figueira.

Nonato Cruz
Foto: Arquivo BDR