Nova equipe da Fundação Cultural de Vilhena reajusta ações

0
42

Alinhar o Estatuto da autarquia com os princípios de quando foi criada, principalmente na fomentação cultura em Vilhena, é uma das metas da nova equipe que assumiu a Fundação Cultura. A presidente Kátia Valéria, com apoio do professor Cledemar Jeferson, ressaltaram a importância da instituição.

De acordo com Kátia, a Cultura é um tema muito abrangente e formado por vários segmentos. “Quando você fala de Cultura, não podemos esquecer que ela não tem uma denominação exata, ou seja, é um conjunto de fatores diversos como crenças, etnias e tradições. Nós temos aqui, uma herança Cultural muito forte, indígena principalmente, e não podemos esquecer que cultura não é só música, artes plásticas, artesanato, entre outros”, pontuou.

A presidente explicou que, a equipe da autarquia que é formada por 11 servidores, trabalhará de forma colaborativa e dará continuidade aos projetos que estavam em andamento. “A minha maior preocupação hoje, é que nós só temos um curto tempo de atuação e não tem como apresentar nenhum projeto grande, só dar continuidade aos projetos que já existem. Meu objetivo é sistematizar, organizar e planejar para que o próximo que vier, tenha tudo já encaminhado para que o serviço dele não tenha tanta burocracia”, destacou Kátia Valéria.

Algumas questões, que precisam ser resolvidas dentro da autarquia, foram ressaltadas pelo professor Jeferson como a criação de um plano de ação e meta, informatização/digitalização dos documentos e infraestrutura. “A Fundação necessita de um plano de ação e meta, porque no nosso entendimento, deve servir para fomentos da cultura e para o fortalecimento de todos os segmentos, como músicos, artistas plásticos, artesãos, profissionais que trabalham com dança e tradições. Tudo isso tem que ser feito dentro de uma linha programática dentro da autarquia”, disse o professor que destacou também as metas previstas para acontecerem no mês de maio ou junho.

A equipe da Fundação tem como objetivo abrir a Casa de Rondon para que o público realize visitas no fim de semana. “Queremos reabrir o Posto Telegráfico para visitas assistidas, aos sábados e domingos, junto com a permissão da Aeronáutica. A população clama e não precisamos de rios de dinheiro para abrir a Casa de Rondon, só queremos que as pessoas tenham acesso ao Marco Zero de Vilhena”, afirmou.

Outros pontos abordados pelo professor são em relação à Biblioteca Municipal Monteiro Lobato e ao processo para a realização da Terceira Conferência Municipal de Cultura. Conforme Jeferson, a equipe da Fundação Cultural, ajudará no fortalecimento das ações da Biblioteca e darão continuidade no trabalho desenvolvido pela antiga responsável. “Nós teremos que realizar esse evento, porque a conferência tem um chamamento do Ministério da Cultura (Minc) e a ideia é que façamos antes um pré-chamamento para que os segmentos se organizem”, disse.

Aulas de violão – Em relação às aulas de violão, o professor Jeferson disse que o voluntário responsável pelas lições na Fundação Cultural não voltou mais. “Pedimos desculpas aos pais e alunos e informamos que em breve, vamos retomar as aulas”, concluiu.

Semcom