Novo secretário da Semed quer valorização da categoria com apoio do Sindsul

0
374

Na tarde do último dia 30, poucas horas após ser empossado como secretário de Educação, Clésio Cássio e a adjunta, Cristiane Ortiz, se reuniram com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia (Sindsul), Wanderlei Cordeiro e com os vereadores Samir Ali e França Silva.

A reunião teve como pauta, apresentar ao sindicato propostas para valorizar os servidores e manter um diálogo com os representantes da classe.

Diante dos esforços para buscar de forma rápida a aprovação de algumas propostas, ficou decidido que três pontos são em caráter de urgência: Gratificação de incentivo à docência (professor em sala de aula), valorização da formação dos cargos de apoio e a gestão democrática.

Ainda nesta semana, será feito um estudo de impacto econômico para que o texto seja apresentado à Câmara de Vereadores antes da próxima sessão. “Não sabemos quanto tempo estaremos nessa função, mas não estamos aqui apenas para ocupar uma cadeira. Vamos buscar a valorização dos servidores, incentivar o professor a estar em sala de aula e valorizar aquele servidor que buscar o seu aperfeiçoamento. Outro ponto que vamos buscar é o fim das indicações para os cargos de diretor e vice, já havaianos tido essa conquista no passado, mas, infelizmente, vimos acontecer um retrocesso na gestão anterior à do prefeito Adilson Oliveira. Ninguém é melhor que os próprios participantes do dia a dia da escola para escolher seus diretores”, disse o secretário Clésio.

Wanderlei parabenizou o novo secretário e disse ter ficado feliz pela escolha do prefeito Adilson. “O secretário Clésio já é do meio, participou da criação desse plano, então ganhamos tempo e tendo essa abertura com o sindicato, temos certeza que os servidores vão ter em breve atendidos seus pedidos. Inclusive aqueles que muitas vezes são esquecidos como os de serviços gerais”, finalizou o presidente do Sindsul.

Já na próxima quarta-feira, 02, Clésio e Cristiane irão visitar as escolas de Vilhena para verificar a situação real de cada uma unidade educacional.

Assessoria/Semed

Fotos: Semed